Blue Eyes

Blue Eyes

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Hoje

Hoje vais ajoelhar-te diante de mim e chupar-me tanto até te começar a doer o maxilar e te entalares toda com o meu pau a tentar descer pela tua garganta.
E tudo isto enquanto eu, de pé e diante da enorme janela do nosso quarto, vou observando as pessoas que passam na rua.
Vamos fazer as posições que eu quiser e só vamos parar de foder quando eu me cansar, mesmo que isso implique ires além da força e elasticidade do teu corpo.
Para terminar vou vir-me na tua boca e vais engolir tudo sem reclamar.
E porque eu sei que te vais portar bem depois vou pegar em ti, exausta e dorida, depositar-te na banheira e dar-te um banho relaxante antes de te secar, devolver-te à cama e adormecer-te no meu peito.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Esfrego-me... Toco-me

Há dias assim...
Viro-me para um lado e fico pensativa, cheia de pensamentos…
Estou louca, com um desejo enorme de perder as forças nas pernas, de me contorcer por completo e de me saborear, saborear todo este prazer que liberto e me escorre pelas pernas…
Levanto-me, vou para a casa de banho, toalha no chão, sento-me, tiro o vibrador da gaveta e faço-o entrar em mim…
Encosto-me à parede, abro uma perna e pouso-a no banco em frente a outra afasto-a o mais que consigo.
Já entra em mim como se tivesse sido lubrificado, com uma mão faço-o entrar em mim, bem fundo, com a outra, aperto firme o mamilo, mordo o lábio inferior e imagino-te aqui a entrar mim.
Cada vez mais fundo, deslizo a outra mão até ao clitóris e toco-me como se do teu toque se tratasse.
Sinto-me perto de atingir o orgasmo e paro, retardo o inevitável, sabe tão bem.
Retiro o vibrador e chupo para saborear-me, sentir o que sai de mim, o néctar que liberto hoje, neste dia que estou excitada, louca de desejo…
Volto a entrar e o meu pensamento volta para ti, entro com força e bem fundo, como se do teu caralho se tratasse e acabo por me contorcer toda, quase que nem me consigo levantar, ajoelho-me, tal foi o prazer, perco as forças enquanto sinto as pernas a tremer e o meu néctar a escorrer, ainda me sinto em pleno orgasmo, esfrego-me, toco-me um pouco mais e levo a mão à boca, tal como me fazes sempre que me venho.
Continuo com este gosto intenso e excitante.
Guardo o vibrador, subo as cuecas e sigo de imediato para a cama…

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Putinha

Se eu te chamar de putinha e tu me chamares de cabrão enquanto te fodo… Vais te sentir ofendida ou insultada?
Vai cortar o momento ou vai estragar aquilo que de tão bom tem acontecido até agora?
Vais continuar a pedir-me que te coloque de quatro, que te abra as pernas, me ajoelhe perante tal deslumbre e te lamba até a minha língua ficar dormente…
Ou vais simplesmente deitar-te, fechar as pernas, elevar o mais alto possível essas pernas e me implorares que entre bem dentro dessa tesão… com ele bem duro, como gostas.
Vais deixar de me querer agarrar no caralho com as duas mãos para então depois te perderes nesta glande, que já conhece tão bem essa tua língua, essa tua boca quente.
Sei lá… lembrei-me agora…
Se te chamar de putinha enquanto debaixo do chuveiro coloco as tuas mãos na parede, afasto-te as pernas e de rabo empinado te fodo ao ritmo que a água escorre pelos nossos corpos.
-Para, por favor…
Podes me chamar de putinha, de puta, de vadia… chamo-te de cabrão, chulo, tesudo… o que quiseres, mas pára de me foder a alma e vem cá, fode-me como nunca…
-Vem cá…
-Vou mas já que dizes que te estou a foder a alma, vou continuar a fazê-lo até que me chames todos os nomes, e implores que te foda o corpo.
Deito-te na cama e abro-te as pernas, gosto de ti assim, exposta para mim, para explorar e provocar-te até não aguentares mais. Lambo toda essa humidade que libertas e delicio-me com o teu sabor, fodo-te com a língua enquanto te acaricio o clitóris, sei que gostas e nada me dá mais prazer que ver o teu prazer.
Quando sinto que estás quase a vir-te paro, estou tão duro que até dói e roço-me em ti, isso então deixa-te louca, fora de ti. É quando perdes toda a compostura, e cheio de tesão, chamo-te de putinha, a minha putinha.
– Cala-te e fode-me cabrão.
Levanto-te as pernas e continuo a roçar toda esta minha tesão, de repente entro em ti sem esperares, arrancando-te um gemido, misto de dor e de prazer.

Agora sim és a minha puta!
A tortura foi tão grande que também se virou contra mim, e quando me dizes que te vais vir é música para os meus ouvidos.
Não aguentamos, dou-te mais uma estocada bem funda e explodimos os dois num orgasmo estrondoso e intenso que nos deixa meio alheados da realidade. Quando me dizes:
-Fodeste-me bem a alma mas o corpo melhor ainda, a partir de hoje chama-me o que quiseres...

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Simples atracão

Nus, abraçados, beijos, caricias, pele com pele.
Percorriamo-nos mutuamente, com dedos, com línguas, com o corpo o todo, gozando as delicias do prazer luxurioso.
Luz quanto baste, para nos vermos, na imensidão daquela cama, autêntico leito de prazer.
Que aumentava a cada segundo, fazendo com que quiséssemos mais e mais..
Beijos, caricias, sexos que tocavam em todas as partes dos nossos corpos totalmente nus..
Delírios e vontades...
Não aguentamos mais.
O nosso tesão louco tesão.
Começamos a foder....
A meter-lha toda.. toda...
Gritos e mais grito, gemidos e mais gemidos...
Deu-se a explosão de prazer.
Prazer luxurioso...
Jactos e jorros intensos do delírio do prazer.
(A quem nunca sucedeu isto?)..

Sem pudores

As cinco frases que na cama, um homem gosta de ouvir a mulher sussurrar-lhe ao ouvido :
- Enterra-me esse caralho tão bom...
- Lambe-me, chupa-me, estou cheia de tesão...
- Fode-me toda, toda...
- Toda tua a minha cona...
- Aii, aiiii, vem-te todo, comigo...aiiiii...