Blue Eyes

Blue Eyes

sábado, 31 de maio de 2014

Acariciando, explorando cada centímetro da minha cona… 
Os teus dedos não paravam… ora me penetrando ora acariciando cada ponto de prazer… sentia o orgasmo a aproximar-se e só me apetecia dizer-te para não parares… 
Pede-me. Diz-me o quanto o queres chupar!
Os gemidos de prazer que já não conseguia conter
As tuas mãos passeavam no meu corpo
Percorreste com a língua
Traçando uma linha de saliva por onde passava, a tua língua chegou à minha cona… e aí se deixou ficar a lamber, a chupar,de forma intensa e ritmada!
Fiquei louca de prazer.
Fode-me…
Quero sentir-te dentro de mim… 



Quero mais… preciso de te sentir, preciso que apagues este fogo que me incendeia, consumindo-me sem piedade.
Quero-te.



Nada melhor do que o desejo evidente um pelo outro...

sexta-feira, 30 de maio de 2014

desejo despertou-me… sentia-me molhada… queria mais…
coloquei-me de quatro e passei a mão sobre o meu rabo até á minha rata…
ele viu-me nesta posição  colocou-se atrás de mim, e começou a roçar aquele pau teso nas minhas nádegas…
eu puxei-lhe umas das mãos para  me tocar…ele recusou… alcançou o gel e acariciou o meu cu…ao mesmo tempo com a outra mão começou-me a acariciar o grelo….a sensação de sentir os dedos em redor do meu cu, e outros a acariciar o grelo era optima….
ele estava louco de tesão…
senti-me perto de atingir o orgasmo, interrompi-o, fazendo-o retirar os dedos por momentos e disse-lhe:
- Quero-o dentro de mim…
ele suavemente fodeu o meu cu … sentimos os nossos corpos e entrarem um no outro…gememos que nem loucos…
pedi-lhe que ficasse parado, pois queria eu comandar os movimentos…
era óptimo sentir-me toda preenchida…ele com uma das mãos, voltou a acariciar-me o grelo…eu gemia … sentia-me uma louca, transformada…acelerei os movimentos, e sentia o pau do Mr Blue Eyes bem lá no fundo…ao fim de uns minutos atingimos o orgasmo …caímos, pois estávamos completamente exaustos…
Shhhhhhhhh I know you wanna cum, but I want to lick and suck the cum up and out of your cock….
Estavamos sozinhos...
Na minha cabeça o desejo despertava...
tomamos café...levanto-me e beijo o Mr Blue Eyes com um beijo de lingua, e fugimos...
Despimo-nos á pressa e com uma das mãos agarrei-lhe o caralho, que já estava duro....disse-lhe ao ouvido:
- Já tenho saudades de uma rapidinha...
Num apice ele me penetrou e me fodeu como eu gosto....é tão bom uma rapidinha de vez em quando.
Disse-lhe que queria foder...
Ele veio logo atrás de mim...
Encaixou-se em mim, sentia o caralho nas minhas nádegas bem duro..
Com a minha mão procuro o caralho, é tão bom sentir aquele calor…
ele começou a mexer-se, ele incentiva-me a continuar, com a mão continuei e num ápice o caralho dele ficou tão duro, que sussurei-lhe ao ouvido:
- Fode-me já, preciso do teu caralho dentro de mim.
Virou-se para mim, encaixou-me em mim e fodeu-me como eu tanto gosto, gememos até que atingimos orgasmo.
Miss Blue Eyes beijou-me no pescoço e disse-me ao ouvido “quero-te sentir-te dentro de  mim” com uma das mãos desceu ao meu caralho e com a outra agarrou-me a minha mão e levou á sua cona…senti toda a sua excitação traduzida em humidade, foi o que bastou para me dar tesão…ambos de lado  e de frente um para o outro…não demorou a encaixar-mos como duas peças perfeitas…ambos segurávamos os gemidos…os nossos corpos movimentam-se de maneira ordenada…ambos estávamos longe de atingir o clímax, mudámos de posição, ficando a Miss Blue Eyes de costas para mim e eu encaixo de lado nela…o meu caralho não demorou a entrar naquela cona húmida…é sem duvida uma das posições que mais gostamos…para mim pelo facto de sentir as suas nádegas bem encostadas e permitir dar umas palmadinhas suaves….para a Miss Blue Eyes o prazer de ser agarrada e penetrada por trás...
Sentimos que estávamos perto do orgasmo, os nossos movimentos aceleraram e sussurrei-lhe ao ouvido  “adoro amar-te, mas muitas vezes prefiro foder-te”...
Tivemos um orgasmo barulhento e sentido, ela gritava gemia tremia... eu vinha-me todo dentro daquela cona húmida, deixando toda a minha esporra lá depositada.
Num dia destes ao ver um video de sexo, ficamos tão loucos tão excitados, que ela colocou-se na posição de 69, sentia-me duro, começamos um oral lento, …com o meu dedo passei sobre aquela cona humida…
ela gemeu…
chupando-me ainda com mais intensidade... depois enfiei um dedo na cona, estava encharcada…isso deu-me imenso tesão…
ela gemia como se não quisesse ficar por aqui...
mudamos de posição, ficando de quatro atrás dela…com uma das mãos mexia-lhe no grelo e com a outra mão envergava o meu caralho no cuzinho dela…
ela sentiu-o e ia fazendo pressão contra mim, entravamos um no outro… gemia de prazer….sentia-a louca, …e eu continuava a coçar aquele grelo freneticamente ao ponto de ela atingir ao orgasmo..
estava descontrolada…queria mais….
Meto o meu caralho na cona encharcada, e fodi fodi até ao ponto de atingir-mos os dois o orgasmo.
Toco- me
Gemidos soltos,
 os dedos,
Avançando e recuando,
Num inédito compasso,
Invadindo-me por dentro,
Controlando-me a vontade
De me entregar,
Enlouquecida,
Ao culminar
Do prazer.

O toque do tempo,
O passar dos segundos.

A pele
Esta que se arrepia

Do comandar-me o prazer
Que aguça os sentidos,
Anseia pelo prazer

Inteira de paixão!
Ao culminar
Do prazer.

Eu sou apenas pecado, nas tuas mãos luxúria, objecto loucamente tomado
 O corpo arde e eu só desejo que me possuas.
E possuída assim, aberta e ao ritmo do teu saber, entregar-me e querer mais.
 Suco do meu prazer, o jorrar
Sugo-te,
O membro másculo,
Erecto e que me seduz

Sob o nome do pecado,
Sob o desejo da luxúria,
De quem nunca se contenta,
De quem nunca se satisfaz.

Escorre-me
Pela carne o tesão


Apetece-me,
O teu sabor em mim,
Enchendo-me,
Sufocando-me de ti,
Apetece-me!

Apetece-me,
Ajoelhar,
Despir-te o que ainda faltar,
E a boca encher
Com o teu membro erecto,
Duro de tanto querer e,
Num ritmo por mim marcado,
Fazer-te sentir
A loucura do prazer
Num delirante vir.
Fazendo-me gemer,
Fazendo-me contorcer,
Fazendo-me gozar.



A força do teu querer,
Penetrando-me a carne,
Fazendo-me desistir
De te enfrentar e provocar,
Deixando-me tomar,
Dominar e só obedecer,
Pertencer-te,
E por ti,
Em ti,
Deixar-me levar pelo prazer.


Entrego-me
Ao teu desejo incessante

o Jogo

Começou sensualmente a tirar o vestido e fica so de tanga, com movimentos suaves provoca-me e começa a tocar-se por cima da tanga.
Eu queria me juntar, estava louco.
Ela para me atiçar ainda mais meteu as mãos por dentro da tanga e começou a mexer no seu grelinho e a meter os dedos na sua cona já toda húmida. Vem ate mim e bem perto da minha cara, mas de modo a não lhe conseguir tocar começa a tirar a tanguinha lentamente e ao mesmo tempo espetou-me aquela cona na cara.
Passei minha língua naquela cona tao saborosa.
Senti-a a estremecer de prazer, mas rapidamente se afastou de mim e gatinhando com ar de safada veio ate mim e começou a desapertar a berguilha das calcas. O meu caralho já estava a sufocar de tao duro estava ali preso no interior das calças.
Tira-me o caralho para fora e começa-me com movimentos suaves percorre-me o corpo do meu caralho com os lábios. Passa a língua da cabecinha e de uma so vez abocanha-me o caralho todo de uma só vez ate aos tomates. Ui fiquei possuído já bastante excitado quase me vinha naquele momento, mas consegui aguentar. Continuou a mamar-me o caralho como ela bem sabe..
Entretanto ela levanta-se e em movimentos sensuais começa a roçar a sua cona já toda encharcada no meu caralho, sinto os lábios da cona na cabeça do meu caralho, e de numa das passagens começa a enfiar o caralho naquela gruta quente e húmida. Começa numa cavalgada bem ritmada e bastante gostosa. Ja não estava fácil aguentar pois excitação já era muita e com aqueles gemidos de prazer dela ainda pior. Ela começa num vai bem frenético e já sem aguentar digo-lhe que me ia vir, ela sai de cima de mim e abocanha-me sugando o meu caralho ate a ultima gota.
Ela estava mesmo possuída comi-lhe aquela cona toda de todas as formas e feitios e ainda teve direito a uma bela enrabadela. 

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Nós somos?

Conhecermo-nos um ao outro foi os melhores que já fizemos. A partilha é única e cheia de adrenalina em cada passo que damos. Em cada pensamento surge uma ideia e em conjunto vivemos para a sua resolução.
Em nos descobrimos sensações únicas, sabemos o que o outro quer e sabemos o que queremos para os dois. Nossa união trouxe ao de cima coisas em nós que estavam escondidas e assim descobrimos que somos:
  • Viciados em ter prazer;
  • Viciados em dar prazer um ao outro;
  • Viciados em sexo;
  • Viciados um no outro.

Somos cúmplices um do outro, somos casal mas acima de tudo bons amantes!
Pegou em mim e colocou-me em cima do balcão onde me lambeu todinha, eu estava cheia de tesão por ele...gemia gemia e sentia os lábios a ficar mais grossos...algo me invadia pelo corpo a cima a pedir por aquele caralho bom. Gemi fundo, ele estava todo dentro de mim..era um prazer intenso sentir aquele caralho a entrar bem fundo.
Ser comida de quatro também é delirante para mim e receber umas boas palmadas é ainda mais excitante, aquele momento estava a ser repleto de orgasmos, estava louca de prazer e pedi lhe para sentir o seu leite nas minhas maminhas. Ele satisfez me o pedido com bastantes gemidos de prazer.
Estávamos cansados mas não com vontade de acabar...
Num segundo estava despida e tu beijavas calorosamente as minhas mamas enquanto outra mão percorria o meu corpo onde a humidade pedia o teu corpo. 
A minha boca beijou e lambezou-te como à tanto tempo desejava até sentir que não aguentavas mais.
Agarras-te no teu caralho empurraste-me contra o carro de uma forma um pouco brusca e vi-me tão mais rápido que alguma vez e tu sem dó continuavas a fazer de mim tua PUTA explorando-me por todos os lados. Empulgavas-te sempre que víamos a luz de um carro a aproximar-se e os gritos de prazer aumentavam mesmo sabendo que ninguém nos ouviria ali.
Fode-mos que nem uns loucos...

Prazer intenso...

Quando te abres para mim

já sei o que vai acontecer
Gosto de tanto de ti assim
que so quero mas é te foder...
Duro tu vais ficar
pronto para me penetrar
louca me vais deixar
e de prazer me arrepiar....
Nossos corpos estao a suar
o orgasmo esta a chegar
Ai que estou me a vir!!
Que loucura vamos mas é repetir...

Beijaste-me de uma maneira louca, como só tu o fazes, Mr Blue Eyes, a minha boca pedia a tua, só ela me satisfazia. Só ela é o elemento fulcral na nossa relação de amor. 
Passas-te com a língua pelo meu lábio superior e, depois o inferior pedia o mesmo, e tu, sempre pronto a satisfazer-me, fizeste-o. A tua língua fundiu-se na minha, e estávamos em plena conexão.
Estava tão excitada, que só me apetecia ter sexo contigo, logo ali! O meu corpo parecia fogo de tão ardente que eu estava.
Puxas-te o vestido para baixo, deixaste os meus seios destapados. Olhaste para eles com aquele teu olhar maroto, e sem demoras dedicaste-te a eles. Lambes-te sem demoras as minhas mamas sedentas da tua boca, chupaste-as tão bem... Parecia que as engolias ao mesmo tempo que as lambias. Enquanto chupavas uma, acariciavas a outra com a tua mão. Oh!, como adoro que me lambas as mamas!... Sinto-me tão bem, enquanto sinto toda a tua boca envolta nelas. E depois mordes levemente o meu mamilo, e deixas-o tão durinho, como adoras ver e sentir. Depois, para me provocares ainda mais, como se ainda fosse preciso, pressionas o meu mamilo com o teu dedo, e agarras-os com os dentes, e voltas a chupá-lo. As minhas mamas são todas tuas, fazes o que quiseres! Adoro quando me lambes daquela forma que me deixa louca por ti.
E quando pensavas tu que ficávamos por aqui, quis vingar-me. Por cima da tuas calças, ia apalpando o teu caralho, e sentia-o duro e a crescer ainda mais, tudo porque eu te estava a excitar. E eu? Que excitada eu estava! Só queria que me comesses! Tirei o teu caralho de dentro das calças, e deixei-o sentir as minhas mãos. Masturbei-te como se não houvesse amanhã, as minhas mãos detinham todo o poder, e eu em movimentos de cima para baixo, sempre constante, ia percorrendo o teu pénis, o meu pénis. Hmm..... Gosto muito de te beijar, enquanto tenho o teu caralho na minha mão. E além disso, ainda gosto de te fazer sofrer mais um bocadinho, afasto-me para que não me beijes. E tu, louco de desejo, ergues-te da cama, para me agarrar com força e beijar-me, metes a tua língua na minha boca, tão fundo quanto a tua língua o permite, e depois eu chupo-te a língua, e afasto-te de mim. Sabes bem, o quanto gosto de te fazer sofrer, de prazer.
A minha boca passa a cobrir o teu caralho, e faço-te a mamada. Chupo-te o caralho tão bem, que passas a controcer-te. A minha boca, percorre cada milímetro do teu caralho, não deixo nada ao acaso. Abocanho-te, e tento engolir o teu Pau, tanto quanto posso. E quando vou mais fundo, ajudas-me a ir ainda mais além, porque sabe-te tão bem que precisas de sentir-te ainda mais com tesão. O tesão, dá-te ainda mais tesão, é um ciclo. Agora, é a minha vez de me dedicar só ao teu Pau, e chupo-o, meto-o todo na minha boca, de fininho deixo um rasto de saliva, em todos os milímetros do menino. Fica ainda mais molhadinho. Deixo a minha mão ajudar, e vou masturbando-te, alternando com o broche. Sinto-te cada vez maior dentro de mim. E a minha boca chupa-te, a minha língua saboreia-te, os meus lábios consomem-te. Tu, louco de pazer, puxas-me para ti de forma brusca, e apalpas-me toda, o meu corpo é tocado por ti, beijas-me, abraças-me, contorces-te de prazer, eu fico louca de te ver assim. Viras-me para ti e deitas-me de barriga para cima, é quando intoduzes os teus dedos na minha vagina bem molhada, e pressionas o meu clitóris, fazendo movimentos circulares. Como se não bastasse, ainda penetras o teu dedo no meu cu, e puxas-me para ti, eu só quero sentir-te, e tu só queres dar-me todo o prazer possível. A dupla penetração deixa-me tão excitada que venho-me. Agora és tu! Volto ao teu caralho, e abocanho-o, sem dó nem piedade, faço-te o melhor broche que sei. Agarro o teu caralho tão firme, que ao fazer o movimento de cima para baixo, sinto-te a gemer. A minha boca volta a comer-te todo, chupo-te ao mesmo tempo que te lambo, olho para ti, e tu agarras os meus cabelos, afastas-os para me veres a chupar-te. Eu vou olhando para ti enquanto deixo a minha mão masturbar-te, a outra é puxada para ti e lambes-me os dedos, deixas a tua língua mostrar o que é realmente bom. Estás tão excitado de me veres, e o facto de ainda o sentires, não te dá outra alternativa: Vens-te todo para mim!
Adoro quando me deixas fazer o que quero de ti.
Espera um pouco disse-me...
Colocou-me uma venda...beijou-me intensamente e levou me a loucura com aquela língua deliciosa enquanto me mexia nas mamas e fazia entrar dois dedos dentro de mim.
Loucura de estar vendada sem saber o que iria acontecer a seguir é uma sensação fantástica, estava arrepiada de tanto tesão e louca por senti-lo bem durinho dentro de mim..senti algo duro perto da minha boca e não pensei duas vezes antes de come-lo todinho bem fundo como ele tanto deliria, aqueles movimentos de língua só na cabecinha e quando menos espera enterre-o ate a garganta quase sem fôlego..lambo-lhe outra vez a cabecinha e ele geme e estremece...tira-me o pau da boca e lambe-me novamente a minha cona já toda enxarcada e começa a foder-me lentamente, mais apressado, lentamente, apressado...
Hummm delírio total estar sob o comando dele era optimo...
Coloquei-me de quatro e enterrou me o pau bem duro e já cheio do meu leitinho, eu pedia-lhe mais e mais e mais, aqueles movimentos de vai vem estavam a deixar me loucaaaaa (ele fez sinal ao gajo que já estava com o pau duro na mão, acenando-lhe para se aproximar) quando de repente sinto algo a aproximar-se da minha boca...não podia ser ele mas também não fazia ideia de quem era se estava a ser fodida não podia estar com o pau dele junto da minha boca...vendada sem saber quem era foi algo que me deu mais tesão ainda, o Mr Blue Eyes mandou-me mamar- lhe aquele caralho todo enquanto me fodia todinha .
Estava a ser delirante e o momento não podia ser de mais excitação e curiosidade ao mesmo tempo, os dois estavam prestes a explodir e foi então que me tiram a venda e se esporram os dois para cima das minhas mamas soltando grandes gemidos de prazer...

Era disto que eu estava a precisar...

Hummmm....também quero!

Adoro ter a boca cheia!

Jovens e desejosos, partilharmos a nossa paixão, desejos e loucuras.

No elevador

Como que se uma bomba explodisse, empurrei-te contra a parede, beijei-te loucamente, e a minha mão rapidamente procurou a tua cona. 
Sem tardar tu respondes, só descansas quando encontras o meu caralho. 
Aproveitamos ao máximo aqueles poucos segundos de privacidade que tivemos direito, segundos que souberam a pouco, agora o meu desejo está maior, ficou de tal maneira elevado que ao chegar a casa, tive que me masturbar de uma forma especial, mas isso já é outra historia!
Abri bem as minhas penas e senti a tua mão a acariciar o meu clitóris e os teus dedos a penetraram sobre mim. Introduziste um, dois, três, e estimulaste o meu ponto G. Que prazer tão bom, que ponto! Deixei que tu dedicasses só a mim, e depois tirei para fora o teu caralho e masturbei-to! Beijávamos-nos tão intensamente, que por si só, já me deixava louca. De tal forma a tua língua se envolvia e se entrelaçava com a minha.
Coloquei a minha boca no teu caralho e fiz-te o melhor sexo oral de alguma vez. Dediquei-me de corpo e alma ao teu menino. Lambio e chupei-o como nunca! Chupei-to todo, todo mesmo! Acariciei-o com as mãos e depois lambio-o. Movimentos de masturbação foram feitos. Deixei um rasto de saliva, por tudo o que era milímetro da tua pele peniana, fiz questão disso. 
Hmm!... estavas tão molhadinho. Que bem que sabia chupar-te assim. Agarrava tão firmemente o teu pénis e ao fazer os movimentos de cima para baixo, ias soltandos gemidos mais altos, que percebi logo que te excitava. Mas o auge, esse, foi quando abocanhei-te e, contigo dentro da minha boca, chupei-te, ao mesmo tempo que com a minha mão direita, tapava, agarrando a parte superior do teu caralho. Quis deixar-te ainda mais louco, e olhava para ti enquanto te trabalhava. Tu, agarravas no meu cabelo longo e solto, e ajudavas-me, fazendo pressão com a minha cabeça, para te chupar ainda mais fundo. E eu ia descendo ainda mais. Adorava ouvir-te gemer de prazer. Prazer causado por mim. Brinquei ainda mais e meti o teu caralho na parte superior da minha bochecha, na diagonal, como aquela parte interior da pele da bochecha é mais fina e delicada, provocava uma sensação formidável. Quase que te vinhas.

Queria tanto ser penetrada por ti. Queria tanto que me comesses. Sim, que me comesses! Tantos dias em provocações, tantos dias a masturbar-me a pensar que eras tu a comeres-me, só queria que eu e tu num fundíssemos num só corpo. E tu, comeste-me! Penetraste-me e deixas-te que o teu caralho se juntasse a mim. Fazias movimentos tão rápidos, que me deixavam em êxtase total! A minha cona contraí-a-se a cada penetração mais funda que me fazias. O prazer era tanto que tive de estimular o meu clítoris, primeiro a teu pedido, e depois porque precisava mesmo de prolongar e intensificar ainda mais o que sentia. O prazer que tu me davas! E ali estava eu: de pernas abertas, ainda que flectidas, na beira da cama, e tu em cima de mim, a foderes-me.
Queres que te foda? Pede! – dizia o Mr Blue Eyes a olhar para mim.
Quero! Fode-me!
Estas palavras foram um impulso para o Mr Blue Eyes, porque ele, sem dó nem piedade, fodeu-me mesmo! Deu-me com tanta força, que eu implorei por mais. A penetração rápida, veloz, com a força impelida, deixava-me sem fôlego. Adorei, adorei, adorei! Eu estava quase sem respirar, pois a minha respiração era ofegante. Mas que foda ele me estava a dar! Mesmo à bruta, quase selvagem, se realmente não o foi.
Puxei-te para mim, e agarrei o teu rabinho e as tuas costas, pressionando-as contra os meus seios e a minha vagina, com força, para te sentir ainda mais fundo, dentro de mim. Segredei ao teu ouvido o meu gemido. Fode-me! Só quero que me comas toda, dizia eu.
Mudámos de posição e meti-me em cima de ti, obviamente que não perdeste a oportunidade para me chupares as maminhas. Ia-me balançando por cima de ti. O teu caralho estava tão teso! Agarravas na minhas maminhas e chupavas-as, e depois eu beijava-te, e tu nunca deixavas de as ter na mão. Pois tinhas sempre que as apalpar.
Agarraste o meu rabo com força e deste-me palmadas de castigo. Introduzis-te os teus dedinhos no meu rabinho. Sabia-me tão bem, enquanto o teu caralho roçava na minha vagina super molhada e quente. Foste para cima de mim e penetraste-me enquanto colocavas os teus dedos no meu rabinho. Dupla penetração.
Continuaste a penetrar-me, enquanto me ias tentado beijar, pois estavamos de tal maneira ofegantes, que não dava para nos beijarmos. Com força, com força, só queria que me fodesses de força. Hmm!... Quase que me venho cada vez que penso na penetração que me oferecias tão bem... Nunca te tinha visto tão selvagem, e adorei! Lambeste a minha vagina bem molhada, num gesto tão rápido, que me fez agarrar a almofada com força. Almofada que tu me tiraste para me ofereceres uma visão maravilhosa.
Aproximaste o teu caralho da minha boca, enquanto eu estava deitada, e tu, por cima de mim. Masturbaste-te, enquanto eu ajudava e ia lambendo e tocando ao de leve com a língua, estavas quase quase a vir-te e eu abri os meus lábios e a minha língua veio para fora. Vieste-te! Não só a tua respiração e o olhar o denunciava, como o leitinho que saía do teu caralho. Vieste-te para a minha boca, e eu acolhi tudo dentro de mim.
Deitei-te na cama, e penetrei-te. A tua vagina não ofereceu nenhuma resistência ao meu pénis, de tão molhada que ela estava, e assim começou a nossa sessão louca de sexo.
Penetrava-te com vigor, da melhor maneira que podia, e tu pedias por mais, e era isso que fazia, tu pedias e eu dava-te.
A nossa respiração estava ofegante, gemíamos descontroladamente, que prazer que estávamos a ter!
Sem esperares peço-te que fiques de 4, e tu sem demoras assim o fazes, penetro-te.
Gemes de prazer!
Os meus movimentos juntam-se com os teus.
Nesta posição tinha uma vista privilegiada do teu rabinho, sem pensar duas vezes penetro-te com um dedo, que fácil que ele entrou, era como se já estivesse à minha espera, por isso junto outro dedo.
Como tu gostaste!
Simplesmente deliraste!
Mudamos de posição varias vezes a teu pedido.
Sentia que estavas a adorar, por vezes agarravas-me com todas as tuas forças, como se quisesses que o meu corpo se unisse ao teu!
No fim pediste que eu me viesse nos teus seios, e assim eu fiz, puxei-te a mim e derramei o meu leite sobre os teus seios, e como tu gostas do meu leite!
Tinha um vestido preto,  um pouco curto, mas dava bem para mostrar o que escondia por baixo. Provoquei-te até te levar ao limite.
Ia levantando o vestido o suficiente para mostrar um pouco do meu rabo e da minha vagina, e depois, prontamente o baixava.
Levantaste-me ligeiramente o vestido, e por cima do meu fio dental, ias acariciando o meu clítoris, ao mesmo tempo que me beijavas apaixonadamente.
Acariciaste o meu clítoris, fazendo movimentos circulares, e depois penetraste com os teus dedos, a minha vagina.
A minha vagina queria absorvê-los todos, e ela ia apertando os teus dedos, em leves contracções. Movimentavas os dedos, enquanto ele estavam lá dentro. Tiraste toda a tua mão de repente, e deixaste-me com um gemido louco. Depois voltaste a pôr os teus dedos, mas rapidamente os tiravas. Era uma sensação agradável para mim.
A tua língua lambeu num gesto rápido e eficaz a minha vagina. Senti um arrepio de excitação a percorrer todo o meu corpo. Mergulhaste a tua língua na vagina, e fizeste-me o melhor sexo oral de sempre! Ias lambendo e alternavas ao chupares-me, chupavas tudo! Eu estava tão molhadinha, molhada de tanto prazer... Adoras ver-me assim, sentir-me assim, bem sei... Lambias em movimentos circulares, e depois de cima para baixo e vice-versa, mas deixaste-me louca quando penetraste-me com a tua língua, e enfiaste-a toda lá dentro, movimentando-te. Num gesto horizontal, movimentaste a tua língua muito depressa. Tão depressa que fiquei tão excitada, que tive que puxar a tua cabeça contra a minha vagina, fazendo pressão, para te sentir ainda mais fundo, ainda mais perto. E assim, agarrei os teus cabelos, e passeei os meus dedos, pressionei-te ainda mais. Ia gemendo enquanto ias olhando para mim, quase a perguntares se eu queria mais. E eu queria.

Beijaste-me nos lábios, a tua língua envolveu-se com a minha. Enfiaste os teus dedos na minha vagina e deste-me a provar do meu sabor, e depois beijaste-me para provares tu também. Perguntaste se eu tinha gostado, se eu queria mais.
- Sim! Quero mais! Come-me toda!


E eu empurrei-te para a minha vagina, abri bem as minha pernas e confrontei-te comigo toda aberta. Voltaste a deliciar-me com um espectáculo fenomenal.Puxei-te para gemer ao teu ouvido, e assim deixar-te ainda mais louco.Sem pressas, foste masturbando-me e fizeste-me oral. Foram uns longos minutos cheios de prazer e tesão. Vi-me na tua boca.
No fim quis presentear-te e também quis devorar todo o teu pénis. Comi-te todo! Chupei-te ainda melhor, agora.



quarta-feira, 28 de maio de 2014

Eu só vou de transportes públicos ....





As minhas Loucuras


Tu, louco de desejo por mim, não resististe em chupar as minhas maminhas. Deixaste-as nuas, e lambeste-me muito bem. Chupavas da melhor maneira que conseguias. Engolias o máximo que podias. O meu mamilo estava tão durinho... tão tesa... por ti.
Sem perderes mais tempo, e depois de me ter arranjado para ti, por cima do meu vestido colocaste a tua mão, tentando alcançar a minha cona, para te poderes deliciar com ela. E é aí que tens uma surpresa: não tinha nada por baixo. Ficaste surpreso, mas muito contente. Claro que este foi só o apimentar do resto da tarde.
Já na cama, puxaste-me para a beira, abriste-me literalmente as pernas, tiraste para fora o teu pénis bem duro, e primeiro levaste-mo aos meus lábios. Agora fui eu a chupar-te, engoli-o todinho. Meti-o na minha boca, e deixei-o bem molhado. A minha língua apoderou-se de ti. Puxaste o vestido para cima, e colocaste o meu mais-que-tudo dentro de mim, dentro da minha cona molhada, suculenta do teu caralho teso. Ias-me comendo devagar, até que foste aumentado o ritmo, sabes bem como adoro quando te movimenta depressa e com força dentro de mim... Hmmm, que delícia tão boa.
- Põe-te de quatro! Quero comer-te assim! – pediste-me tu, Mr. Blue Eyes.
E eu cumpri com os teus desejos, até porque deliro quando meu comes de quatro. Empinei o meu rabinho para ti, abri as minhas pernas, inclinei-me para baixo, e contorci-me de prazer. Enfias-te o teu pénis na minha cona molhada, e comeste-me, como tanto querias. Foste fazendo movimentos de vaivém e eu ajudava-te, puxava-me para trás, e tu para a frente, os nossos movimentos eram segredos que se misturavam a dois.
- Fode-me! Fode-me com força!
E tu, sem disseres nada, à tua vez, fizeste o que te pedi, e deste-me de força, e eu balançava-me com firmeza para ti. Estivemos assim uns minutos até que tu te vieste para mim.
- Isto não fica por aqui, ainda te quero comer mais hoje!
- Eu também quero.