Blue Eyes

Blue Eyes

domingo, 27 de julho de 2014

A sede de luxúria

Sem pudores, nem tabus, é uma forma de libertar a mente e o espírito.
Sempre desejei ser tratada como uma verdadeira mulher, que gosta de sexo, que envolve eles ou elas, ser fodida por de trás.
Adoro sentir um caralho na minha cona. Estou excitada, vou-me vir. Fode-me, quero-te. Sinto o teu caralho que rasgar as entranhas, não aguento mais... 
Estava a minha espera sentado numa mesa na praça de alimentação, estranho o exercício mental que se faz para ser reconhecer alguém que apenas temos uma imagem, imagem essa construída muitas das vezes apenas na nossa mente, apesar das fotografias.
Um olhar ansioso e completamente luxuriante espalha-se por todo o meu corpo, custa-me enfrentar aquele olhar devorador. Mr Blue Eyes beija-me num instante sem se quer ter tido oportunidade de reagir, a mão dele percorre a minha anca à procura do pedido dele, mas o frio era muito que não pode corresponder.
Num olhar cúmplice e receoso da minha parte dirigimo-nos para o parque de estacionamento, entramos no carro, o olhar dele fixa-se no meu, os lábios percorrem os meus, as mãos procuram o contacto com a pele.
O meu corpo fervilhava de desejo.
Mr Blue Eyes percorre as minhas coxas com as mãos firmes, beija-me as pernas sinto a língua e a saliva, afasta-me as cuecas. Estou completamente atónita com o momento, o meu coração parece quer saltar fora. Ele simplesmente aborda-me a minha vagina com as mãos, percorre a minha cona, e fixa o olhar em mim.
Ele sente o desejo que me percorre a minha humidade revela toda a minha excitação.
Aquele toque, aquelas mãos que me esfregam o clítoris deixam-me simplesmente rendida. Enfia a cabeça no meio das minhas pernas e começa a chupar e a lamber o meu clítoris, em movimentos suaves e depois firmes, penetra-me com a sua língua, as mãos percorrem as minhas ancas, as minhas coxas, e eu simplesmente estática sem nada fazer, apenas a sentir a volúpia daquele momento  que me dá prazer. Levanta-se e olha-me de frente, beija-me de forma decidida enquanto os seus dedos me penetram a  língua percorre toda a minha boca, contorna os meus lábios, penetra a minha boca, sinto uma excitação cada vez mais crescente.
Fico de joelhos, e de forma decidia coloca o caralho na minha boca, comecei  a sentir aquele caralho, ele ordena-me.
- Chupa-me minha puta. Chupa minha cadela!
A minha língua começa a movimentar-se, as palavras dele excitam-me. Sinto aquele caralho todo na minha boca, observo todo o prazer que estou a dar… e aquilo excita-me cada vez mais.
Mais uma vez ele diz-me:
- Chupa-me os colhões, lambe-me!
Seguro aquele caralho na minha mão, e começo a chupar metodicamente cada testículo, consigo sentir o arrepiar da pele, sinto o gemer de prazer. Sinto que ele está próximo do orgasmo,  dou-lhe a entender que ainda é cedo para ele se esporrar.
Subitamente empurra-me de forma a ficar de quatro, e penetra-me a minha cona, completamente encharcada. Sinto caralho dele dentro de mim que entra de uma estucada só, entra e sai de mim, num vaivém firme que me deixa simplesmente extasiada.
Continua a penetrar-me a cona as mãos seguram os meus cabelos, alternando a sua mão livre pelo meu corpo, pelos meus mamilos.
Entretanto peço-lhe para que ele me foda o cú, num ápice ele tira o caralho da minha cona e sinto toda a minha langonha a escorrer pelas minhas pernas, começa a lubrificar o meu cú, com a minha humidade que escorrer das minhas pernas e da minha vagina, misturando-a com a sua saliva, conseguindo assim a mistura perfeita para a lubrificação do meu anús, penetra-me com a língua e com um dedo, introduz um segundo dedo, o prazer era tanto que mal conseguia controlar-me.
Num movimento rápido e ao mesmo tempo firme, põem-se de forma a conseguir enfiar aquele caralho no meu cú, sinto-o dentro de mim, rasga-me, delicia-me, é simplesmente indescritível.
Ele grita e geme, tudo se mistura, as palavras com os grunhidos de prazer, “Minha puta como o teu cú é bom!!! Hum, hummmm”...
Os testículos dele batem na minha vagina. Olho para trás em tenho uma visão sublime do prazer dele, de todo prazer que eu estou a dar, e consequentemente do prazer e do desejo cada vez mais crescente que provoca em mim.
Vou-me esporrar-me, grita ele, sinto-o a explodir dentro de mim, o esperma dele que em jactos longos percorrem as minhas entranhas, é uma sensação indescritível sentir aquele néctar a escorrer dentro do meu cú.
Caímos para o lado extasiados com aquele momento. 
Mr Blue Eyes beija-me e sinto a língua na minha que me penetra com o desejo que sinto crescente. Beija-me os meus mamilos e ligeiramente os morde, sinto mais uma vez uma arrepiar do corpo que se estende pela alma, por estar a viver aquele momento.














Sem comentários:

Enviar um comentário