Blue Eyes

Blue Eyes

domingo, 27 de julho de 2014

Swing!


Quem nos visse e ouvisse, pensaria de certeza que estávamos doidos... 
o que se passava naqueles instantes de pura loucura e orgia constante entre dois casais deitados na cama, a trocar carícias entre ambos, num espaço aberto, os gemidos constantes das mulheres trocadas dos respectivos maridos, de olhos inflamados de prazer e de êxtase puro, onde mais nada parecia existir.
Decidimos então ficar só a observar o bi femenino que iria acontecer dentro de instantes....Miss Blue Eyes ficou deitada com a cabeça encostada numa almofada, e de olhos fechados, começou a sentir as breves carícias que a Maria lhe fazia no corpo já nu, em que as pontas dos dedos lhe percorriam o umbigo, tão devagar como se não terminasse o desejo de ambas tão sensuais e belas que estavam...
Começou então a ser beijada, primeiro entre os lábios, depois com ambas as línguas a tocarem-se, sentindo-se bem com tudo aquilo e querendo fazer sobressair o que já sabia de antemão que iria acontecer.... que iria desinibir-se por completo, mostrando-se uma mulher sexualmente atraente, capaz de fazer as maiores loucuras na questão da prática do sexo...
Começou a gemer baixinho quando a Maria alcançou o clítoris com a língua, lambendo-a e acariciando-a nos seios, beijando-lhe o pescoço, apertando-lhe um pouco os bicos dos seios já saídos, dizendo-lhe ao ouvido de como era bom estar com ela...
Quase instintivamente, Miss Blue Eyes fez deitar-se Maria beijou-lhe a cara, o pescoço, a boca, os ombros, os braços, passando a sua língua por todo o corpo tão vagarosa e sensualmente, fazendo com que Maria gemesse cada vez mais e dissesse constantemente o como era bom e como lhe agradava estar com outra mulher que a fizesse sentir nas nuvens, percorrendo agora Miss Blue Eyes todo o corpo com a língua, fixando-se mais no seu umbigo até descer ao seu clítoris já molhado, lambendo-lhe a vagina, enfiando a língua ao mesmo tempo que enfiava um dos seus dedos naquele espaço depilado...
Ao sentir que Maria já estava a ter o seu orgasmo, voltou a atravessar a sua língua por todo o seu corpo, beijando-lhe um dos seios, puxando ainda mais o bico para fora e com a outra mão acariciava o outro seio, fazendo com que Maria se rebolasse no chão, tendo uma almofada em cima da cara para que os seus gemidos não fossem ouvidos, em que eu e o Pedro fixávamos os nossos olhares em toda a aquela situação de estarem a ver o sensualismo de duas mulheres amando-se, ficando ambos admirados por verem Ana assim tão desinibida ao ponto de tomar conta da situação e de se envolver por completo no bi sensualismo.
Pedro sentia-se excitado com aquele cenário, tendo ficado ainda mais excitado ao ver a sua mulher a tornar-se numa deusa do amor.
Pedro queria juntar-se a elas, disse-lhe para ter calma, pois a sensualidade entre duas mulheres é sagrada e bela de se observar, não havendo nada mais belo do que aquele cenário...
Agora podíamos ver Maria tocando os seus seios fartos na vagina da Miss Blue Eyes, massajando-os na sua pele macia, havendo troca de mãos agarradas uma na outra, tal era o prazer consumado entre as duas... Miss Blue Eyes disse então que ambos os homens já poderiam entrar no jogo...
Começamos a tirar a roupa, iríamos construir um puzzle tão desejado por todos Nós...
Miss Blue Eyes estava por cima de Maria, acariciando-lhe os seios, quando Pedro se lhe aproximou tocando-lhe nas costas com a ponta dos seus dedos,  que começou logo depois por lhe acariciar a vagina, a barriga, beijando-a nas costas, tomando conhecimento com o seu corpo reboliço, perguntando-lhe se estaria a gostar e se estaria bem... abrindo os olhos, Miss Blue Eyes abanou positivamente a cabeça, recebendo os seus beijos molhados, deitando-se de seguida ao lado de Maria que se deliciava com o meu pénis tão erecto como de prazer intenso entre corpos unidos pela troca de seres descomplexados e livres que eramos...
Miss Blue Eyes já não sabia o que fazer, tão excitada que estava, sentindo Pedro a beijar todo o seu corpo, correspondendo ela da mesma forma, fazendo as mesmas carícias que fizera a Maria que gemia ao som da música que se ouvia por entre ouvidos, pois que estavam tão direccionados para aquele momento deliciante, onde eu, também acariciava Maria nos seios, lambendo-os com a língua, apalpando o seu rabo bem torneado fazendo com que se aproximasse mais o corpo daquela mulher do meu, tão excitado, trocando ambos palavras incompreensíveis para o comum dos mortais, fazendo com que Maria tivesse o seu segundo orgasmo também com a ajuda de Miss Blue Eyes que a beijava na boca, enquanto estava na posição de quatro e Pedro a lambia e lhe penetrava com 2 dedos na vagina extensamente molhada e aberta, pronta para receber o seu membro também erecto...não sem antes Miss Blue Eyes o lamber e chupa, enrolando-o por entre a língua e os dentes, ora chupando-lhe só a cabeça do pénis, como ora lambendo-a tão devagar como se estivesse a terminar, ora começando a chupá-lo desenfreadamente, fazendo com que Pedro quase gemesse mais alto, ora beijando-lhe a boca entreaberta, ora Pedro a tomasse em seus braços e ao abraçá-la, lhe tocava com o pénis na barriga, querendo uma penetração perfeita...
Eu estava agora em cima de Maria, penetrava-a, vendo-a com uma feição de loucura sensual....
Tive a oportunidade de ver a Miss Blue Eyes sentada em cima de Pedro numa posição de cadeira entrelaçada, balançando ao som de pequenos gemidos que ambos faziam, mostrando que estavam a adorar aquele momento, mas que Pedro lhe pedia para se balançar mais devagar, pois estava a sentir que iria ter um orgasmo, mas que ainda o não queria ter, pois queria prosseguir com aquela penetração tão deliciosa...
Miss Blue Eyes ainda tentou seguir o seu pedido, mas vendo que não conseguia, foi desviada para trás por Pedro que retirou o seu pénis dentro de si, tentando abrandar o seu desejo, mas continuando a beijá-la, já deitada e ele por cima dela, querendo penetrá-la novamente...
Eu, já refeito do meu orgasmo, e já limpo, deixava que Maria o continuasse a lamber o meu caralho, vendo Miss Blue Eyes a deliciar-se por completo com Pedro que já tinha tido o orgasmo, mas que enfiava agora alguns dedos dentro de si, fazendo com que se viesse loucamente...
Ficamos calados por uns breves momentos, tentando descortinar sobre o que se tinha passado, qual sensação mais utópica e qual prática sexual mais bela aquela que tinha acontecido ali, naquele espaço imaculado por aventuras constantes entre casais tão unidos como de loucos num cio constante!


Os nomes do outro casal são fictícios, por respeito.

Sem comentários:

Enviar um comentário