Blue Eyes

Blue Eyes

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Broche

O menino tem batido muitas punhetas ou está com os colhões bem cheios?Guardas-te tudo para mim? Estavas aflito e a pecisar dos meus préstimos? Já te masturbas-te uma noite inteira até à exaustão a pensar em mim?
Aproximei-me por trás e tapei-lhe a cabeça. Nem uma palavra ou nunca mais te mexo na gaita, ameacei!
Despi-me lentamente da cintura para baixo. A dominação deixa-me sempre com muito tesão.
A minha cona humedecia, esfreguei com vontade até escorrer completamente. Passei os dedos ensopados pelos teus lábios. Depois obriguei-te a chupá-los e adoras-te.
- Queres mais, perguntei.
Aproximei-me e amarrei-te as mãos atrás das costas. Lambi-lhe as orelhas, o pescoço e ordenei-te:
- Só te vens na minha boca, ai de ti que desperdices uma gotinha que seja.
Mr Blue Eyes ficou agitado. A respiração denunciava.
Ajoelhei-me e mordi-lhe o caralho por cima das calças. Vinha sem nada por baixo. Lentamente abri... O tesão dele era tanta que tive dificuldade em tirá-lo de dentro das calças. Chupei-o de seguida para o tranquilizar um pouco. Lentamente não fosse ele derramar tudo já de seguida.
Depois afastei-me e contemplei o pau faminto que estava por minha conta.
Voltei a mostrar-lhe a cona mas desta vez mostrei as mamas.  Estava louca, estava demais. Só de pensar naquele pau que ia se vir na minha boca quando eu mandasse... Ui, que delícia.
Sensualmente acariciei s minhas mamas, os meu bicos tesos, apertei os mamilos e o tesão subiu bruscamente.
Ele permanecia imóvel e cheio de tesão. Olhei-o nos olhos e comecei a masturbar-me frenéticamente.
Adoro fazer isto à bruta. O orgasmo aproximava-se e era tão bom. Apertei as mamas, depois um mamilo, apertei cada vez mais e esfreguei desesperadamente a cona.
Vim-me em menos de um minuto bem na frente dele. Ele suplicava-me com os olhos. Dei-lhe a provar novamente os dedos agora ainda mais humidos. Prova o meu néctar, prova, que a seguir vou provar o teu, disse-lhe com voz super sexy. Ele provou e lambeu tudinho.
Abracei-o por trás e mastrubei-lhe o caralho. Não te venhas ainda ouviste!!! Lentamente e parando por vezes só para lhe massajar os colhões e fazer festinhas na ponta do caralho. Adoro levá-lo até à loucura e parar.
Era muito arriscado continuar pois ele gemia de aflição e prazer. A qualquer momento podia explodir e com razão.
Chupei-o suavemente para dentro da minha boca. O gosto das primeiras gotinhas fizeram-me querer mais.
Ele estava impaciente com o meu broche, lentamente abocanhei tudo até à garganta. Depois apalpei-lhe os tomates ao memo tempo que lhe batia uma punheta e chupava a cabecinha inchada de tanto tesão.
Resolvi não parar desta vez. Ansiava por satisfazê-lo e ele merecia após tanto sofrimento.
Subitamente gritou de prazer e veio-se abundantemente. Os jactos de esperma quente encheram-me a boca de prazer. Parecia não ter fim tanto prazer. Chupei tudinho até ao fim.

2 comentários:

  1. Hummmm.. até bati uma punheta pensando eu ser o protagonista da história....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hum...bateste?mesmo?
      manda as tuas fotos .....
      bjsss

      Eliminar