Blue Eyes

Blue Eyes

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Dominação e poder

Por vezes a Miss Blue Eyes gostava de ser dominada.
Um dia, estava ela deitada comigo em cima, peguei-lhe numa mão e agarrei-a com força dominando-a. Permanecia com a mão um pouco acima da cabeça e logo inconscientemente ofereceu-me a outra. Agarrei as duas só com a mão direita enquanto a esquerda lhe percorria o cabelo, os lábios e o pescoço. Tentou libertar-se mas não muito.
Se até agora o prazer era muito e progredia gradualmente com o caralho bem aconchegado lá dentro, agora que estava presa gemia ainda mais notando-se perfeitamente uma subita tesão extra.
Não tardou a se vir, o que me agradou imenso e deu-me outras ideias.
Estava louca por ser "obrigada" a render-se aos meus desejos. Queria mesmo era entregar-se e ser submissa pela minha língua incansável e pelo caralho demoníaco.
Escolhi um objecto simples. Apenas algo que a impedisse de fugir, que me desse acesso livre à cona e a toda aquela parte entre as pernas que tanto me agrada explorar. Deitou-se. Algemei-a. Tapei-lhe a cara e esperou pelo castigo.
- O que me vais fazer, perguntava ela um pouco nervosa.
- Vou-te deixar louca de tesão.
Aproximei-me por trás e contemplei aquela visão magnífica. Ela estava ali ao meu dispor, sujeita à minha vontade.
O meu tesão era tanto que pensei castigá-la já fodendo-a bem fundo. Mas pensando melhor podia fazer isso mais tarde. A foda é minha quando eu quiser. Resolvi começar pelas suas pernas sentindo a pele macia, apalpando as coxas ao mesmo tempo que levemente beijava-lhe o rabo. Beijava e lambia também, por vezes até mordia um pouco, depois mordia mais.
Tentou afastar-se mas não conseguia.
- Quieta, disse-lhe com voz autoritária. Está quieta senão é pior para ti, segredei-lhe ao ouvido enquanto lhe acariciava o cabelo e a beijava no pescoço. Dei-lhe a provar o caralho inchado de tanto tesão.
- Gostas disto não gostas? Mama puta senão fodo-te toda. Isso, engole tudo, és mesmo putinha, és mesmo minha... .
Massajei-lhe as costas, passei os dedos levemente desde a nuca até ao rabo, depois do rabo até aos ombros. Uma mão continuou o serviço enquanto a outra punha a cona mais à mostra.
Linda, molhada e inchada de desejo.
O rabo espetado e virado para mim. É maravilhoso deslizar os dedos pelo meio dos lábios da cona sentindo os tremores e o prazer que a fazem gemer.
- Fode-me agora, suplicou a Miss Blue Eyes.
- Queres que te foda minha putinha? Pede, pede muito, ordenava eu acompanhando com umas palmadas naquele rabo gostoso.
Mais uma vez não fiz o que me pedira, apenas mudei de técnica. Esfreguei-me e beijei-lhe o rabo agarrando-o com a mão esquerda. A direita explorava-lhe a cona, mais concretamente o clitóris carnudo e inchado.
Um delicioso aroma emanava das suas entranhas. Escorria-lhe pelas pernas aquela seiva de mulher faminta.
- Fode-me agora por favor, fode-me, fode-me, implorava já com voz tremida no meio de gemidos.
- Se queres que te foda então vem-te primeiro., quero-te ver a te vires. Vem-te e geme como eu gosto, só depois é que te como puta.
Sei bem como ela gosta e aquele grelo húmido .... hummmm.... Ela não prava de se mexer por entre os meus dedos cada vez mais depressa. Era uma questão de tempo. Sentia o prazer a acumular-se deixando-a enraivecida de desejo. Num grito violento a Miss Blue Eyes veio-se violentamente num orgasmo longo bem merecido.
Soluçava de tanto prazer. Gemia e aguardava pela continuação da festa. Lambi os dedos empregnados do seu orgasmo. Que doce aroma tem a minha Miss Blue Eyes.
Aproximei-me por trás, o caminho estava aberto. Entrei e senti uma maravilhosa sensação de prazer.
Aquela cona escorregadia aguardava-me há muito. O prazer que tinha acumulado queria agora explodir bem depressa.
Contive-me dificilmente porque ela agora gemia outra vez e isso deixa-me louco de tesão.
- Vem-te depressa puta antes que me venha, vem-te agora, ordenava agarrando-a pelo pescoço.
O caralho bem enterrado tocava lá no fundo provocando-lhe um prazer intenso. - Sentes? É todo teu!
Tirava e voltava a entrar totalmente brincando bem lá no fundo. Sentir o rabo colado às minhas pernas e barriga é divinal.
Senti que o orgasmo da Miss Blue Eyes estava para breve.
Os gemido de aflição entravam agora em loucura.A cona apertava cada vez mais e eu sentia-me cheio de prazer e com uma vontade incontrolável de aliviar o meu prazer.
Queria explodir.
Mais uma vez no meio dos gemidos ouvi "ahhhhhhh". Agarrei-a pelas ancas e fodi-a com quanta força tinha. Gritei de prazer fodendo sem parar num entra e sai frenético. Veio-se comigo, e eu com ela. Foi divinal.
Continuei numa foda lenta sentindo a cona apertada e bem encharcada. O meu  tesão durou mais uns minutos, o suficiente para que ela vie-se novamente.
Apressei-me a libertá-la. Bem merecera a sua liberdade depois te tanta tortura.

Sem comentários:

Enviar um comentário