Blue Eyes

Blue Eyes

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

O escravo do prazer

Abri a porta, puxei-o pela camisa e fechei a porta.
Hoje vais me conhecer! És o meu escravo do prazer. Vais despir-te. Só quando eu permitir!
- Sim, minha senhora. Sim, sou o seu escravo do prazer.
Despiu-se. Estava neste momento todo Nu. 
- És o meu escravo! 
Sentia-me molhada. Puxei-o pelos cabelos e encostei-lhe a cara à minha cona. Ordenei:
- Vais lamber-me a cona. Lambe. Coloca essa língua de fora. Isso chupa-me o clitóris. Fode-me com essa língua. Mais, mais, mais...
Começou a lamber-me a cona por detrás e a roseta carnuda. Ele sentia-se excitado pelo prazer que ela estava a lhe dar.
Sentia-se teso e duro.
Desejava foder, enfiar o caralho dentro de mim, e sentir afinal quem era o escravo.
Voltei-me para ele, e disse:
- Podes olhar-me nos olhos! Vou dar-te uma mama. Quero que me mames. Que chupes as tetas e que as apertes.
Abri a minha blusa...
Ele pensou e disse em voz alta, foda-se que mamas durinhas que esta puta tem.
- Estás à espera de quê? Ordenei-te que chupasses.
Enquanto ele chupava um mamilo, apertava o outro entre os dedos. 
Eu contorcia-me de prazer. Olhei para o caralho, estava teso e duro.
Perguntei: o que é vamos fazer com isso? Apontando para o caralho dele...
- Sou o teu escravo do prazer. O meu desejo é dar-lhe prazer. É por isso que estou teso e duro. Para que a senhora se sirva do meu caralho.
Abri por completo as minhas pernas. Puxeio-o e ordenei:
- Fode-me com esse caralho! Ele obedeceu. 
- Fode-me. Fode-me. Fode-me.
- Sim senhora. Gosta do meu caralho, senhora? É suficiente para a sua cona?
- Cala-te, não estás aqui para me fazer perguntas! Estás aqui para me foder, para me dar prazer!
Ele estava demasiado excitado...
- Ai puta que vais ver como te vou foder...
- Virou-me. Colocou-me de quatro. Afundou-se em mim, agarrando-me pelo pescoço e dando-me umas valentes palmadas nas nadegas.
Eu escorria de prazer...
Isso cabrão, sou a tua puta. Fode-me, fode-me.... Hummm isso... não aguento mais, vou-me vir...
Sentiu a contracção de todos os meus músculos...
Ele saiu de dentro de mim, colocou-se de pé, agarrou-me pelos cabelos, e disse:
- Vou-me esporrar todo nessa boca, minha puta.
Enfiou-me o caralho pela garganta abaixo.
Esporrou-se todo. 

Sem comentários:

Enviar um comentário