Blue Eyes

Blue Eyes

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Sem conversas, sem floreados, sem palavras.

A urgência de viver.
Desejava a explosão do animal, os líquidos, a satisfação imediata, o desejo. 
O sexo dentro do meu, sem preliminares.
Não quero palavras bonitas, nem de gestos simpáticos. Procuro sexo absoluto, os corpos viciantes, encaixes perfeitos.
Quero o proibido, o indecente.
Fantasias, loucuras, os ritmos do corpos e a força das estocadas.
Quero a satisfação necessária para os meus apetites, sentir, provar e saborear.

2 comentários: