Blue Eyes

Blue Eyes

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Gemes, gritas e vens-te

Tu de propósito abres as pernas, o vestido sobe, observo as tua nádegas e percebo que não tens nada por baixo.
Viras-te para mim e debruças-te, tenho uma visão fantástica, as tuas mamas...o meu caralho começa a dar um ar da sua graça!
Sentas-te ao meu lado, o teu vestido sobe mais do que se devia.
Eu olho e fico engasgado...
Fico estático!
Puxas a minha mão e colocas na tua perna.
A conversa pára, começo a beijar-te, e ao mesmo tempo tu puxas a minha mão para entre as tuas pernas....
Quente, húmida e macia...
Como tu estas!!!!...
Eu começo a acariciar-te com o dedo, a passar nos teus lábios, abres mais as pernas e continua a beijar-me, mas desta vez com mais tesão e desejo.
Abres o fecho das minhas calças e tiras o meu caralho para fora, e rapidamente desaparece na tua boca linda.
Eu vejo o teu cu virado para mim, o teu vestido está a meio das nádegas...
Continuas a mamar no meu caralho, agarras nos meus tomates e começas a  abocanhá-los até ao fundo.
Começo a lamber-te as nádegas e puxo-te o rabo para, ficas de 4.
Observo a tua coninha já bem húmida com uma mistura da minha saliva e do teu próprio liquido.
Estou a lambê-te, a percorrer os teus dois buracos, o teu cuzinho e o teu clítoris.
A minha língua percorre um caminho fantástico, sinto um cheiro a sexo que me deixa o caralho a saltar.
Ordenas para que não pare...
Está a quase a te vires, aumento o ritmo na tua coninha, percorro o teu clítoris a tua gruta.
Faço pequenas penetrações com a minha língua, tu vens-te e aperta a minha cara contra a tua cona.
Beijas-me a boca.
Com este beijo o meu caralho fica com desejo de te foder...
As tuas mãos percorrem o meu corpo e tu começas a chupar-me.
A tua boca quente, lambes, chupas, tiras de vez em quando e beijas os meus tomates...
Começas a chupá-lo com mais ritmo...
Quero entrar dentro de ti.
Viro-te de costas e penetro-te.
Estás húmida, quente.
Gemes, gritas e vens-te sem parar, uns atrás dos outros...
O teu corpo contorce-se todo...
Os teus gemidos são de mais e eu não consigo aguentar mais.
Venho-me, aperto-te as nádegas, grito e penetro-a mais umas vezes até bem fundo...

Sem comentários:

Enviar um comentário