Blue Eyes

Blue Eyes

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Fode-me... Fode-me

Começaste a brincar com o meu mamilo, devagar.
Inicialmente era uma festinha, um carinho, mas rapidamente surgiram os movimentos mais vigorosos e o meu mamilo, já erecto, enviou sinais à minha mão que, sem juízo, deslizou entre as minhas pernas...
Trocámos palavras quentes, partilhámos desejos e vontades.
Tu sabias o quanto estava excitada. E como eu tinha ficado doida para para ser devorada por ti...
Mordeste-me o pescoço, arranhaste-me as costas. E quando dei por mim era toda tua, rendida a ti.
Tocaste-me com carinho, sentindo a humidade que nascia de mim por ti, em mim, para te permitir escorregar e alojar-te, docemente, dentro de mim.
Mas tu não o fizeste. Não me penetraste, não tão rápido, não já. Afinal, a tortura estava ainda a começar...
As nádegas ferviam com as tuas palmadas, os mamilos estavam duros e tornavam-se ainda mais sensíveis...
Sentia-me molhada, a escorrer, e cada toque teu enviava um sinal forte, aumentando exponencialmente a vontade de te ter.
Em cima, dentro, em mim.
Deixaste-me perdida de tesão. Só queria ser fodida, completamente penetrada e fodida até não me restarem mais forças.
Pegaste num plug, o pequenino. Lubrificaste-o bem. Não ainda. Lubrificaste o meu cuzinho com lubrificante e enfiaste-o devagarinho...
Tu, ali, com todo o teu tesão à minha frente...
E eu molhada, a pedir a tua boca boca...
Tinha tanta vontade de te mamar, mas tu não ma deste.
Brincaste com ela à minha frente, aproximando-a e afastando-a com um sorriso maroto.
- Isso não se faz, sabes?... Não se tira um chupa-chupa a uma menina tão bem comportada como eu...
Quando mo deste chupei-o com tanta vontade, tanto prazer... Senti-o na minha boca, a cabeça dura, esse caralho rijo que me enlouquece...
Voltaste para trás de mim.
Deste-me umas palmadas fortes nas minhas nádegas, arranhaste-me as minhas costas. E esse caralho, tão duro e molhado, a roçar levemente em mim, no meu clitóris, no meu cuzinho.
Eu sabia que tu o querias, tanto...
Eu estava excitada, contorcia-me toda na ponta do teu caralho, tentando fazê-lo deslizar acidentalmente para dentro de mim.
- Eu sei que tu queres foder-me toda... Eu sei que estás mortinho por enfiar esse caralho na minha cona...
- Fode-me, fode-me toda...
Não te fizeste rogado. Entraste dentro mim, todo. E fodeste-me. E enquanto o fazias, tinhas a mão no meu clitóris, em movimentos circulares acelerados. Aumentaste o ritmo, das tuas ancas e da tua mão; as minhas ancas acompanharam. E explodimos os dois, num orgasmo forte, imenso, interminável.
Ficámos assim muito tempo, até a respiração acalmar e eu te deixar deslizar para fora de mim.

6 comentários:

  1. Maravilha.
    Sensual, provocante.......

    Gozei duas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hummm gozaste bem forte... que bom
      adoramos provocar... e assim tu gozaste
      Bjs Blues

      Eliminar
  2. Maravilhoso e super EXCITANTE
    .
    Deixo Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bubo Filipe, obrigado pelo teu comentario
      é mt mt mt excitantes.. muito mesmo.. dá muito tesão, e se dá!!!1
      Bjs Blues

      Eliminar
  3. Belo conto! É caso para dizer: mete mais!

    Vou pedir a vossa amizade no X...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Charmoso, claro, mete mais mete..mete.. ou:
      Fode-me fode-me. todaaaaaa
      Bjs Blues

      Eliminar