Blue Eyes

Blue Eyes

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Perdida de tesão

Deste-me um beijo interminável na boca.
Deitei-me para as esticar, estender-me e dobrar as pernas.
Fechei os olhos...
Abriste-me as pernas.
Os teus lábios quentes roçaram a pele no interior das minhas coxas, provocando-me arrepios, dos bons...
Foste descendo, devagar.
Sentia-te aproximar dos meus lábios molhados.
As tuas mãos tocaram-me no rabo com doçura, com apertar de tesão.
Deixaste escorregar a tua língua. Ficaste ali, entre as minhas pernas, a sentir a doçura do meu mel.
Lambeste-me como se fosse a última vez que pudesses sentir o meu sabor, sôfrego mas paciente, com desejo e com calma.
Abriste-me com a ponta do dedo, provocando as minhas ancas que se mexiam na tentativa vã de obrigar os teus dedos a penetrar-me.
Deste-me mais um bocadinho, devagar, enquanto o meu clitóris se submetia à tua língua quente.
Deliciavas-te ao sentires-me contorcer nas tuas mãos e na tua boca.
Finalmente deslizaste o dedo molhado para dentro de mim, tocando ao de leve naquele ponto que me faz vibrar.
Aceleraste, língua e dedos, fazendo-me soltar gemidos abafados.
Aceleraste mais e mais ainda.
Senti-me como se estivesse num carrossel, daqueles que giram muito depressa, tão rápido que deixamos de ver o mundo girar do lado de fora.
Deixei de ver, de ouvir, para só sentir a tua língua, os teus dedos e o fim já tão próximo.
O fim chegou...
Inundei de prazer. Fizeste-me gemer e gritar bem alto, com o intenso orgasmo que tinhas acabado de me dar.


2 comentários: