Blue Eyes

Blue Eyes

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Interminável

Aproximas-te. Pressentiste que o meu corpo pedia o teu corpo...
Abriste-me as pernas.
Os teus lábios quentes roçaram na minha pele, no interior das minhas coxas, provocando-me arrepios, dos bons... Foste descendo, devagar.
Sempre que te sentia aproximar dos meus lábios molhados, voltavas a afastar-te, lentamente. Subias e descias as minhas coxas como quem passeia apreciando a paisagem.
As tuas mãos juntar-se a nós.
Tocaram-me com doçura!
Um apertar de tesão.
Escorregas-te a tua língua e ficaste ali, entre as minhas pernas, a sentir a doçura do meu mel e os movimentos subtis das minhas ancas.
Lambeste-me, sentis-te o meu sabor, com desejo e com calma.
Abriste-me com as pontas dos dedos!
Deste-me mais, devagar, com a tua língua no meu clitóris quente.
Deliciavas-te ao sentires-me contorcer nas tuas mãos e na tua boca.
Deslizaste o dedo molhado para dentro de mim, tocando naquele ponto que me faz vibrar.
Aceleraste, língua e dedos, fazendo-me soltar gemidos.
Aceleraste mais e mais ainda.
Senti-me como se estivesse num carrossel, daqueles que giram muito depressa, tão rápido que deixamos de ver o mundo girar do lado de fora.
Deixei de ver, de ouvir, para só sentir a tua língua, os teus dedos e o fim já tão próximo.
O fim.
Que quando chegou me inundou de prazer.
Fez-me gemer e gritar alto,num imenso gozo do meu orgasmo.

2 comentários:

  1. O prazer é recíproco, um sexo cheiroso, depilado, gostoso de lamber, sentir seus fluídos a escorrer pelos meus lábios, sabores diferentes à medida que seu gozo se aproxima.
    Adoro me afogar entre suas pernas.

    ResponderEliminar