Blue Eyes

Blue Eyes

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Com firmeza

Louca para me foder, deixou-se envolver no jogo de sedução e desejo.
Procura-me o caralho que já está duro e abraça-me profundamente.
O desejo aumenta a cada segundo que passa, os olhos dela brilham.
Fixamos o olhar um no outro, enquanto nos masturbamos mutuamente, eu num vaivém firme no meu pau que lateja de tesão e ela numa carícia deliciosa com os seus dedos na coninha molhada e expectante...
Sintiu-me deslizar, e estremeceu quando a minha boca lhe dava o toque na coninha.
Vibrou com a minha língua que lhe afasta os lábios e faz do clitóris uma campainha cujo som sai da boca dela.
Solta  gemidos de prazer, enquanto acaricia a minha cabeça.
Sei que a estou a levar ao paraíso. 
Os meus dedos abrem caminho por entre os lábios inchados, primeiro um, depois dois dedos que penetram enquanto a língua mordisca o clitóris.
Fixo-lhe os olhos e continuo a lamber com firmeza...
Começa a estremeço e noto que está a chegar o auge.
Vem-se desenfreadamente na minha boca, e eu não retiro os dedos de dentro dela, nem afasto a boca e vem-se mais, mais, mais, mais...
Rendida ao prazer!!!
Beijo-a para lhe dar a provar o seu sabor e, quando recupera alguma força, faz-me deitar de costas e começa a tomar conta da situação.
Lambe-me a cabeça do caralho e um fiozinho do seu líquido fica suspenso na língua, chupa-me com vontade, sentindo o sabor e o cheiro de macho.
Ansiosa por me sentir dentro, mas quer-me levar ao limite...
Lambe cada pedaço da minha pele lisa, desce até aos tomates humedecidos, enquanto me aperta com a mão, sobe rapidamente para me apertar o caralho nos lábios, enquanto com a língua me acaricia nesse aconchego de saliva.
Estou a latejar com mais força e quase a esporrar-me.
Levantando uma das pernas, enterra-me com força de uma só vez, e faz balançar o rabo num bailado sem igual.
Fundimo-nos um no outro, com os nossos corpos suados, e que se vai vir novamente. 
Aumento o ritmo das estocadas, esporrando-nos em simultâneo.

Lábios ensopados

Ela deliciou-se isolada do mundo durante alguns segundos provando o sémen quente que escorria em pequenos rasgos pela sua face, era um momento só seu.
Adora sentir aquela mistura agridoce a fervilhar na sua boca.
Consolando-se naquele quarto, lambendo cada um dos dedos de forma gulosa, os seus lábios ensopados trepidavam de entusiasmo.
Por momentos sentiu-se completamente uma mulher de rua, envolta naquele vexame de prazer, uma sem vergonha que transbordava ousadia.
A minha puta predilecta que agora olhava bem fundo nos meus olhos enquanto lambia em jeito de provocação.

Língua exploradora

Miss Blue Eyes caminhou, aproximando-se como uma gata, movimentos delicados num verdadeiro jogo de sedução, estava assanhada.
De sorriso malandro.
De mente depravada que transbordava malícia, pretendia acção.
Sentou-se sobre o meu membro, quente e pulsante, remexeu e esfregou os lábios do seu sexo no meu pau, pequenos movimentos circulares.
Sentiu de imediato uma subida de temperatura no seu corpo, pressentiu o tesão a germinar, vindo das profundezas, instalando-se aos poucos a cada movimento de anca mais arrojado.
Continuou a caminhada...
Subiu para cima da minha barriga, depois para cima do peito, roçando os seus lábios molhados sobre a minha pele, deixando um rasto do seu íntimo.
Elevou as pernas, presenteando-me com uma visão privilegiada da sua gruta de prazer.
Estava junto da minha face.
Levou as minhas mãos aos peitos acariciando os seios atrevidos, apertando-os com vontade, deixando vislumbrar os mamilos tesos entre os nós dos meus dedos.
Levou a mão direita à boca molhando abundantemente alguns dedos, percorreu com eles o pequeno trajecto até ao seu sexo e com dois dedos apenas afastou os lábios de forma a me provocar.
Não me fiz rogado ao tal chamamento.
Queria provar o fruto.
A minha língua sentiu o sexo quente e molhado. Ela contorcia-se há minha língua exploradora.
Aguentava-se como podia.
Tentava controlar as vagas de energia que a inundavam a cada passagem da minha língua no seu interior.
Sentiu a ponta da língua a percorrer o interior do seu canal rosado, os lábios a serem sugados pela minha boca quente, o palpitante clítoris a ser chupado vezes e vezes sem conta fazendo-a perder a noção da realidade.
Saboreava de forma gulosa as minhas mãos apoiavam-se nas suas pernas sensuais.
O tremor crescia, com pequenos espasmos involuntários, depois o tremelicar que denunciava a perca de controlo. 
Ela perdia-se em gemidos esfregando-se na minha boca.
A respiração era ofegante...
Aumentei a velocidade das minhas investidas, a língua em turbilhão explorava cada saliência.
As investidas exploratórias ao ânus duplicavam o prazer.
Mas o excitante clítoris era o foco predilecto, absorvia-o em sucessivos ataques impetuosos, uma e outra vez.
A zona húmida era um verdadeiro lago.
Miss Blue Eyes tremia agora de forma veemente, a sua respiração já era, o descontrolo era patenteado ao sabor de cada nova passagem de língua no seu interior, o ventre ameaçava entrar em erupção a qualquer segundo.
Estava completamente descontrolada, levando-a a atingir um intenso orgasmo.
Perdeu a noção do espaço, gritou e gritou, contracções ininterruptas arrebatavam todos os seus sentidos,  as pernas tremiam em desassossego tal era a violência do orgasmo.
Que fabuloso que foi...

Toda arrepiada

As minhas mãos percorrem o teu corpo.
Fechas os olhos.
Paro nas tuas mamas e fecham-se sobre elas.
Um pequeno apertão e tremes de prazer.
Com as palmas abertas esfrego nos teus mamilos até ficarem erectos.
Continuo a esfregá-los.
Baixo-me..
E começo a lambê-los.
E a chupá-los.
Dou umas trincas suaves...
E...
Continuo a beijá-los.
O teu corpo reage ao estímulo de uma forma violenta.
Tremes de prazer!!!
Desço...
E vou ao interior das tuas coxas.
Brinco com o gelo...
O calor da tua cona faz derrete-lo.
O meu dedo entra.
És apertadinha...
Continuo a percorrer...
A contornar a tua cona...
O teu clitóris...
A estimular-te...
E...
Vens-te!
Lambe-me, pedes.
Queres sentir a minha língua quente, a saborear o teu gosto.
Vens-te mais uma vez.
Quero foder, dizes.
Encaixo-me cima de ti
Com o meu pau duro.
Começo a foder-te, devagar. 
Todo dentro de ti.
Acelero...
Mais e mais.
Estás toda arrepiada mas ao mesmo tempo sentes imenso calor.
Estás muito quente.
Sinto-te a ferver.
Tens os bicos duros e só me apetece que te esfregues toda no meu corpo.
De repente...
Dá-se a explosão!
Fodo-te ainda mais...
Venho!!!

A intensidade de um momento

Eu quero o meu sonho...
Realiza-mo!
A minha vida...
Vivida!
O meu sentir ...
Pulsante!
Eu preciso do...
Sangue bem quente nas tuas veias!
Na boca o bafo quente e devorador...
Então prepara-te...
Queima-me!
Com o teu sexo oral...

A sedução comanda o desejo

Eu gosto quando o sangue ferve. Quando o corpo estremece sem parar.
Gosto daquela que deseja com o olhar. Que delira com as minhas palavras no ouvido. Eu gosto quando o tempero é apimentado.
Quando as frases são ditas sem calma nenhuma.
Gosto do tumulto de sentimentos que afloram na pele.
Que deixam marcas e cicatrizes profundas pelo teu corpo.
Eu gosto quando a voz fica trêmula.
Quando o cheiro de paixão se dispersa no ar.
Gosto de ficar com água na boca só de imaginar.
Eu gosto quando o desejo é mais forte.
Quando o sentimento teima em vencer a razão. Gosto de pensar milhares de formas de te desejar. Que inspiram as minhas fantasias e me fazem delirar.
Eu gosto quando o meu corpo não controla. E quando a loucura consegue vencer o correto.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Senhora de si

A visão das suas pernas cruzadas, a saia subida com uma racha lateral a proporcionar uma visão estimulante.
Era impossível não olhar. Estava a deixar-me excitado.
A saia subiu, tinha umas meias de ligas, completamente à mostra, com a fita a segurar a meia e a mostrar a parte da coxa desnuda...
Que visão...!
Acomoda-se, volta a cruzar as pernas, desta vez fazia subir ainda mais a saia e ali ficou, impávida e serena.
Eu já não sabia como me comportar, continuava a olhar descaradamente para aquele pedaço de mulher e de tesão.
Senti um toque, estremeci.
Estava a ser difícil, muito difícil de controlar....
Miss Blue Eyes estava claramente a provocar-me, a testar-me, e tudo aquilo fazia com que eu senti-se o meu pau duro de tanto tesão.
As pernas cruzadas de uma forma tão sensual que eu estava a alucinar.
A saia subida era já do tamanho de uma micro saia.
Estava com uma erecção brutal e foi isso mesmo que ela constatou assim que a sua mão deslizou da perna para o meio das minhas pernas.
Estava a começar a entrar no jogo, ela estava no comando, estaca a dar-lhe prazer.
Num movimento impressionante, abriu as minhas calças, retirou o meu pau que ansiava libertar-se do sufoco em que se encontrava e começou a deslizar a sua mão por todo ele, lenta e firmemente.
Com a outra mão a tocava-se, gemendo baixinho.
Isto durou alguns minutos e eu estava a ficar louco.
Simplesmente queria me fazer chegar ao orgasmo daquela forma, queria provocar ao limite.Vejo-a inclinar-se sobre o meu pau, a cabeça lentamente a baixar e senti um calor húmido, a percorrer todo o meu membro.
Senti uma boca salivada, quente e gulosa.
Senti que teria um orgasmo em segundos!
O movimento de vai e vem, a boca preenchida, desejava saciar-se de mim, sentir-me a esporrar, sentir-me rendido ao orgasmo.
Vinha a caminho, imparável, impossível de controlar e arrebatador.
Estava a vir-me... A encher-lhe aquela boca sedenta, de mestria incalculável, de uma vontade louca por saborear o meu líquido do prazer.
E foi o que ela fez!
Lambeu tudo lentamente, percorreu várias vezes o meu pau ainda duro, massajava com a sua mão, e que mão!
Miss Blue Eyes abriu as pernas, colocou uma mão sobre os seios, outra entre as pernas, abriu a boca e percebi imediatamente que estava prestes a explodir de prazer...
Vi-a contrair-se uma e outra vez, apertava o peito com uma força imensa, estava a ter algo poderoso, um orgasmo, a intensidade enorme!
Que tesão vê-la a entregar-se ao prazer daquela forma tão provocante....

Senti o calor

Fechou a porta e se aproximou de mim.
Senti o calor do seu corpo de fêmea...
Encostei-a e beijei-a.
Colámos os lábios enrolámos as línguas.
Ainda a beijá-la, desci uma mão até às nádegas, enquanto que com a outra agarrei um uma mama. Miss Blue Eyes estremeceu, gemeu...
Ela arfava de tesão, os bicos das mamas tesos e duros.
Tinha de a possuir como uma verdadeira fêmea.
Beijávamos, eu beijava-a na nuca, no pescoço, enquanto amassava delicadamente as suas mamas e com uma mão entre as pernas lhe apalpava já a cona húmida.
O cheiro a sexo já se notava.
Mulher esta insaciável!!!!
Começamos a tirar a roupa um do outro, apressadamente, entre gemidos e beijos.
O fio dental minúsculo todo molhado, de uma cona sumarenta.
Aquilo precisava de um minete urgente. Mas deixei-a tomar a iniciativa.
Foi o inicio de um broche.
Ela chupava ritmadamente todo o comprimento do meu caralho, tirava e apertava com os lábios, passava a língua macia em torno dele, ao mesmo tempo batia uma punheta com uma das mãos, e com a outra se masturba com o clitóris.
Pedia para lhe chamar puta e cadela.
Deitei-me de costas e sentou-se na minha boca.
Que cona saborosa.
A minha língua fazia um minete sumarento. A minha cara estava cheia de líquidos vaginais.
As suas mãos agarravam o meu pau duro.
As mamas tocavam na minha barriga enquanto a sua boca lentamente saboreava-me o caralho num divinal 69.
Subiu ao céu quando sentiu o meu dedo que passando na sua cona e com a minha saliva lhe entrou direitinho no seu cuzinho.
Encheu-me o pau com saliva...
Miss Blue Eyes descia e subia sobre mim. Indescritível. Entrando. entrando...
Via a sua boca aberta a gritar, as minhas mãos nas suas mamas e ela sentada agarrada á cama enterrou-o todo.
E começou a subir e a descer. Uma das minhas mãos dirigiu-se ao clitóris esfregado, o tesão a subir e o vai vem dela não deu para aguentar muito mais tempo.
- Fode, fode, fode, vem-te...
- Queroooooooooooooooooo agoraaaaaaaaaaaaaaa .
Enchia-lhe a gruta de leite...

segunda-feira, 11 de abril de 2016

A sede de mamar

Ajoelhando-se à minha frente, desapertou-me a braguilha, o cinto, o botão superior das calças, e senti as mãos retirá-lo dos boxers.
Foi lambido de alto a baixo, e depois, senti a entrar naquela boca sedenta.
Senti os lábios a lamber-me os tomates, e depois engoliu todinho dentro da sua boca.
O tesão aumentava...
Que boca devoradora!!!
Continuou a mamar, como ela gosta. A língua passava na cabecinha, e de repente enfiava-o na boca.
A sede de mamar era tanta que quase não me podia mover.
Miss Blue Eyes deixava saliva e passava com a mão, um delírio.
Depois colocava as mãos nos meus tomates e massajava-os.
Aguentei-me sem me esporrar.
Precisava de sentir aquelas carnes a rodearem-me o caralho, precisava de a fazer ganir como ela gosta.
Mas primeiro disse-lhe para se sentar na minha cara.
Queria lamber aquela cona e aquele cu.
Assim fez.
Sentou-se, a cona na minha boca...
Aquela cona a ser bem lambida.
Mas a Miss Blue Eyes queria ser bem penetrada, bem fodida, queria o meu caralho e assim o teve...
Não havia mais nada a fazer...
Era enterrá-lo todo na cona e foder, foder.
Fodemos até se sentir demasiado quente.
Os orgasmos era múltiplos.
Era a loucura...
- Tira da minha cona e esporra-te na entrada dela.
- Esporre-te.
- Esporre-te entre a cona e o cu.
O leite jorrou... Bom... Muito bom...

Reacções

Os recantos do teu corpo, as curvas e as reacções.

Sei onde devo tocar para te ver perdida, a suspirar, a tremer, pronta para sentires os orgasmos que te sei provocar.
Sei, com o profundo conhecimento do teu corpo.
Das tuas reacções...
Sei o momento em que estás pronta para seres bem fodida.
Com mais ou menos intensidade...
Queres um ritmo, para te esporrares toda.
A sedução que exerço sobre ti, sei que estás a desfrutar, que me queres, que me procuras para me sentires nela bem húmida, a escorregar para dentro de ti.
Levam-te à loucura, e mais uma vez te vais esporrar, e pedes mais.
Sei, os teus limites, mas acredito que os consegues ultrapassar...
E sei que me desejas, bem dentro de ti, sempre e sempre.
Até sentires a me esporrar para ti.

Alucinante

Cada vez mais duro... sentia-me a latejar de tesão que me invadia e me punha bem duro.
Puxava-a para mim abraçando-a pela cintura.
Beijando-a sofregamente.
A mão por debaixo da roupa apalpava-a firmemente.
Na cabeça fiz força para baixo ao que ela imediatamente acedeu...
E...
Puxando-me as calças para baixo abocanhou-me uma só vez.
A Miss Blue Eyesengolir suavemente a minha glande.
Deixa-me louco.
A sensação daqueles lábios cerrados ao mesmo tempo que me chupava fazia com que eu perdesse a razão e soltasse gemidos sem ter qualquer tipo de controlo sobre mim.
Simplesmente adoro quando ela me chupava assim.
Sem noção do tempo.
Puxei-a para cima e baixava-lhe as calças até meio das pernas e...
Entrei dentro daquela cona já bem húmida e quente.
Penetrei-a com estucadas intensas e profundas.. 
O ritmo esse era alucinante e os nossos gemidos loucos, ecoavam...
Entre os meus dedos, os mamilos dela estavam bem rijos e erectos.
Momento delicioso.
Ela de costas para mim debruçada...
Entrava bem fundo, mais fundo dentro dela.
Fodi-a sem qualquer controlo.
Fodia-mos com tanto prazer.
Fodia-mos até não aguentar mais.
E...
Esporravamos loucamente, entre palavrões, gemidos profundos, vinha-mos intensamente.
Momentos de luxuria, aquele corpo, aquele cheiro a sexo.
Um encaixe perfeito, só nosso.

Para mim

Apeteceu-me que te vestisses especialmente para mim.
Apeteceu-me ver-te deslumbrante.
Da forma a que me deixasses louco de desejo e tesão
De te possuir.
Plena de sensualidade...
Deslumbrante na tua própria sexualidade..
Observar-te ao usares o teu corpo como objecto intenso de prazer.
Divina.
Desejei-te...
Intensamente...
Como minha puta na cama.
Meiga e voraz.
Apeteceu-te e entregares-te assim a mim...

Exposta

Adoravas mostrar aos meus olhos, a nossa cona desejosa de ser comida. 
Abrias-te para mim.
Mais puta na cama do que a senhora na rua.
Aberta e quente...
A abertura das tuas pernas, a tua cona e os teus lábios a chamarem por mim para um encaixe perfeito.
Segurava pela tua cintura e entrava em ti devagarinho, para sentires cada milímetro de carne dura.
A rasgar com prazer e a deslizar dentro da coninha completamente húmida...
Totalmente encaixados...
Bem fundo, bem dentro de ti.
Deliciava-me com o sabor dos teus gemidos.
Os teus movimentos eram intensos, provocados pelas tuas contracções vaginais.
A tua cona cona sugava todo o meu caralho.
O desejo de te sentir era muito forte e deixava-me ir pelo tesão que se ia apoderando de nós e aumentava com a nossa foda, com os nossos movimentos do "entro e sai" bem fundo, dentro de ti.
Viajava pelas intensas sensações que os nossos corpos partilhavam.
Absorvia o movimento que as tuas ancas pronunciavam sobre o meu caralho duro com a mestria do prazer que queriam alcançar...
Dei um berro e deixo-me cair sobre ti ao mesmo tempo que me esporrava brutalmente dentro da cona desejosa fazendo assim com que o teu mel e a minha esporra sem misturassem numa deliciosa onda de contracções internas que os nossos músculos acompanhavam.
Vencidos deixavamo-nos ficar imóveis encaixados um no outro.

Preciso

Preciso que me toques, me possuas, agarra o que é teu.
Sente-me... Com as tuas mãos... Com os teus sentidos...
Sente-me toda.
Abusa do meu sexo... Louco e latejante. Húmido de tanto desejar.
Sente-me com mãos quentes e experientes.
Quero as tuas carícias, até que o teu toque me tortura de tanto tesão.
Isso não me basta.
Apodera-te de mim, sacia todas as tuas vontades, satisfaz os teus e os meus mais loucos desejos.
Extrai gemidos meus e todos o gritos sufocados de prazer. Vamos... Toca, sente-me, e... Fode... Isso fode-me... Não pares...
Fode-me!!!!

sábado, 9 de abril de 2016

Em brasa

Deslizei o fecho e as costas nuas e as minhas mãos tentando ajudar a despir, causaram um calafrio que teve uma reacção do estilo huuummm....
Senti a minha boca seca.
Deslizei o vestido pelos ombros e aos longo dos braços.
Desapertei o sutiã. Em brasa
Que cu...
Virou-se para mim, e as suas mamas ficaram à mercê das minhas mãos, da minha boca.
A cona dela ficava mais molhada, as pernas afastadas e a visão daqueles lábios totalmente rapados faziam com que o meu caralho já estivesse em brasa.
Provocava um tesão de tal ordem, que meti a mão na cona e de imediato a esfreguei, e ficou húmida, facilmente dois dedos escorregaram para dentro dela.
Ela desapertava-me as calças, tirou-me o caralho para fora e deliciosamente o coloca na boca.
A boca devorava o meu caralho.
Agarrei nela, abri as pernas, meti a minha cara no meio delas.
A cona á frente da minha boca, mamei aquela cona, chupei-lhe o grelo todinho.
Encheu-me a boca com o seu liquido. misturado com a minha saliva, liquido dos orgasmos que ela não parava de ter...
- Vai, fode-me toda.
Iniciou-se um vai vem com as mamas a serem lambidas e os bicos bem chupados e mordiscados.
Num gemido de prazer disse -me:
- São anos de excitação e desejo de foder contigo, anda, continua a foder-me.
Fodia, fodia estava quase a me vir.
O meu caralho, bem lá no fundo o que me provocou uma explosão, comecei a esporrar-ne enquannto ela tinha orgasmos sucessivos e intensos. 
Grande foda.....

Prazer sublime

Iniciámos com beijos e apalpões...
Mordi ligeiramente o lábio e gemeu.
- Dá-me palmadas no cu dá querido.
Obedeci.
Levantei o vestido enquanto a beijava como queria, e dei-lhe umas palmadinhas suaves nas nádegas, ouvindo:
- Mais, mais, mais.
Fez-me dar-lhe uma palmada com mais força à qual reagiu:
- Sim, sim, quero-te, fode-me.
Levantei-lhe a saia despi-lhe a cueca, e comecei a lamber aquela cona deliciosamente molhada.
Tendo já o meu pau na mão, duro de tesão, puxou-me para cima dela.
Entrei nela, provocando-lhe loucos gemidos de prazer, convulsivamente vinha-se e vinha-se, gritando mais e mais...
Tão quente que estava, aquela coninha, a sua esporra vaginal, com lábios avermelhados de onde escorriam.
O meu pau não aguentou mais.
Esporrei-me, enchendo-a de leite, da pujança daquela foda.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Quero-o todo dentro de mim

Mantivemos um linguado delicioso...
Baixei-me e comecei a despi-la. As mãos dela nos meus jeans.
As pernas entreabriram-se e colei a minha boca naquela cona molhada.
As mãos dela na minha cabeça forçava com que eu a lambesse sem parar, era desejo.
O primeiro orgasmo encheu-me a boca de líquido, o que me fez aumentar o tesão.
Sexo com sedução e orgasmos.
- Quero esse caralho na minha boca.
- Estou desejosa...
Sentei-me, mamou deliciosamente. Lambia e chupava os meus tomates e de seguida enterrava-o na boca.
Fui para cima dela e fodemos demoradamente, chupava-lhe as mamas.
- Ai amor esporra-te agora, vou-me vir, gemeu.
De rompante saltou para cima de mim e começou a cavalgar desordenadamente, batia bem fundo .
Um vai e vem bem fundo.
- Agora fode-me, fode-me de quatro, quero ser a tua cadela, a tua puta.
- Quero-o todo dentro de mim.
Coloquei-a de gatas, e lambi aquele buraquinho, enfiei a língua.
- Ahhh foda-se, enterra-me esse caralho.
Nm impulso agarrei-lhe pela cintura e comecei a fode-la.
- Fode-me, fode-me.
- Quero sentir o calor do teu leite.
O calor era muito naquela zona.
Cona muito quente e p meu caralho em brasa.
Comecei a esporrar-me e a ouvi-la gemer e pedir por mais.
Cintura bem agarrada ficou todo metido com as nádegas bem encostadas à minha barriga.
Deslizamos , deitamos de lado e em concha.