Blue Eyes

Blue Eyes

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Dá-me, dá-me

De vestido sexy, atiro-me as mamas dela e acaricio-as suavemente.
Ela não se fazendo rogada, com as mãos na breguilha, tira-me o pau para fora, abocanhando-o de uma vez só.
Em poucos segundos o põe rijo, mamando o mastro com a sua mestria e língua aveludada, fazendo-me soltar gemidos.
Começa a esfregar-se, massajou o meu pau bem massajado, deixando-o bem quentinho.
Tinha-mos vontade de fazer outras safadezas.
Encosto-a de 4, levanto-lhe o vestido tiro-lhe a cueca e penetro-a.
Fodendo-a, ela a gemer que nem uma puta.
Gritava de prazer.
- Dá-me dá-me, fode-me com força, puxa-me contra ti, fode fode não pares por nada.
Fodia a minha puta até não poder mais.
Ela gemia, ela gritava de prazer veio-se várias vezes com o pau enterrado na cona.
Eu já não aguentava mais tanto tesão.
Estava pronto para explodir, estava no céu.
- Não aguento mais!
- Vai, esporra-te para mim.
Não resisti mais nem um segundo. Explodi!
Enchi a gruta da minha putinha com o meu esperma.
Um tesão gigantesco.

Sem comentários:

Enviar um comentário