Blue Eyes

Blue Eyes

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Uma gata com cio

Estava praticamente sozinha. O calor era imenso...
O sol aquecia-me a pele nua. 
Deitada de costas sobre uma confortável manta dobrada, a minha mão percorria o meu corpo iniciando-me nas mamas que deixavam exibiam decerto os bicos hirtos, pois notava ao passar os dedos, descendo pela barriga até ao encanto de vénus, com as pernas ligeiramente entreabertas, sentido entrar pelos lábios da minha cona uma aragem que me confortava. 
Pensava nele. 
Na presença quente e desejosa que o caralho dele me dá. 
Estaríamos juntos e decerto foderíamos . 
Acabei por adormecer. 
Entrei num sonho, com tanto de maravilhoso como de febril e diabólico de tesão luxúria. 
Sonhava com a tua boca nos bicos das minhas mamas duras e inchadas de prazer, sentindo as as tuas mãos frescas a passear pelas minhas pernas e eu abri-me para ti, doce e submissa aos teus lábios.
Como estava tão quente a tua boca hoje, parecia-me mais quente, e como a tua língua, que me deliciava e me deixava a beira de me esporrar na tua boca em sonho. 
Estremecia pelo teu toque. 
Enchias-me com dois dedos e rodopiavas e eu sentia que precisava de mais. 
Eu quero mais. 
Eu queria me vir ou que me enchesse a cona de carne. 
A tua língua tocava nos lábios da cona e em movimentos alto abaixo obrigava a que eles inchassem de desejo freneticamente, que assim sentia tanto prazer quase atingia o orgasmo mas tu não deixavas... 
Que sonho intenso.... 
Sentia o teu caralho deslizando na minha cara, e como eu queria senti-lo na boca! 
Mas tu não me deixavas... 
Passeavas o pau pelo meu corpo que é todo teu, mesmo quando as nossas luxuriantes festas nos deixam entregar-nos no glamour dos casais e singles.
Deixavas-me louca a tesão. Não conseguia pensar, sentia-me a ferver... 
O sol... 
Tu... 
Estávamos assim... 
Não me deixavas gozar, esporrar-me. 
Era uma loucura e uma dor tão doce! 
Acordo... 
Os meus olhos estão fechados, o prazer do sonho ainda sentido em mim e afinal as mãos são tão reais, tão deliciosamente suaves, fortes e dominadoras. 
Abro os olhos encandeada e vejo uma sombra escura. 
És tu... 
Tocas-me no grelo, torturas-me. 
Não consigo falar, grito, gemo. 
Ajoelhas e... 
Que boca e que língua deliciosa mas que não me deixa gozar. 
Sinto-me castigada, o meu corpo treme de prazer...
Que tesão. 
Finalmente enterras-te todo literalmente dentro de mim. 
Quente. 
Tu dentro de mim, num vai e vem frenético, em fortes bombadas. 
Fazias-me ter orgasmos sucessivos... 
Enches-me a cona de esporra. 
Que bom, sentir-te dentro de mim, a tua esporra a escorrer... 
Adoro

Sem comentários:

Enviar um comentário