Blue Eyes

Blue Eyes

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Putinha

Se eu te chamar de putinha e tu me chamares de cabrão enquanto te fodo… Vais te sentir ofendida ou insultada?
Vai cortar o momento ou vai estragar aquilo que de tão bom tem acontecido até agora?
Vais continuar a pedir-me que te coloque de quatro, que te abra as pernas, me ajoelhe perante tal deslumbre e te lamba até a minha língua ficar dormente…
Ou vais simplesmente deitar-te, fechar as pernas, elevar o mais alto possível essas pernas e me implorares que entre bem dentro dessa tesão… com ele bem duro, como gostas.
Vais deixar de me querer agarrar no caralho com as duas mãos para então depois te perderes nesta glande, que já conhece tão bem essa tua língua, essa tua boca quente.
Sei lá… lembrei-me agora…
Se te chamar de putinha enquanto debaixo do chuveiro coloco as tuas mãos na parede, afasto-te as pernas e de rabo empinado te fodo ao ritmo que a água escorre pelos nossos corpos.
-Para, por favor…
Podes me chamar de putinha, de puta, de vadia… chamo-te de cabrão, chulo, tesudo… o que quiseres, mas pára de me foder a alma e vem cá, fode-me como nunca…
-Vem cá…
-Vou mas já que dizes que te estou a foder a alma, vou continuar a fazê-lo até que me chames todos os nomes, e implores que te foda o corpo.
Deito-te na cama e abro-te as pernas, gosto de ti assim, exposta para mim, para explorar e provocar-te até não aguentares mais. Lambo toda essa humidade que libertas e delicio-me com o teu sabor, fodo-te com a língua enquanto te acaricio o clitóris, sei que gostas e nada me dá mais prazer que ver o teu prazer.
Quando sinto que estás quase a vir-te paro, estou tão duro que até dói e roço-me em ti, isso então deixa-te louca, fora de ti. É quando perdes toda a compostura, e cheio de tesão, chamo-te de putinha, a minha putinha.
– Cala-te e fode-me cabrão.
Levanto-te as pernas e continuo a roçar toda esta minha tesão, de repente entro em ti sem esperares, arrancando-te um gemido, misto de dor e de prazer.

Agora sim és a minha puta!
A tortura foi tão grande que também se virou contra mim, e quando me dizes que te vais vir é música para os meus ouvidos.
Não aguentamos, dou-te mais uma estocada bem funda e explodimos os dois num orgasmo estrondoso e intenso que nos deixa meio alheados da realidade. Quando me dizes:
-Fodeste-me bem a alma mas o corpo melhor ainda, a partir de hoje chama-me o que quiseres...